O palco desta semana no "Conversas no sofá - Minha trilha sonora" é do movimento Tropicalista


Pandemia, economia e futuro: o cenário atual do Brasil não é dos melhores. Nossa trajetória democrática é marcada por fragilidades e retrocessos sim, mas que por um lado, tornaram nosso solo fértil para expressões artísticas, principalmente na música.

É impossível falar de Música Popular Brasileira sem falar de música de protesto, tema do nosso terceiro encontro virtual do projeto "Conversas no sofá - Minha trilha sonora", que acontece amanhã (10), das 19h às 20h30.

Neste penúltimo encontro, o palco é do movimento Tropicalista, que surgiu no final da década de 1960 e foi responsável por revelar nomes importantes da nossa música, como Caetano Veloso, Gilberto Gil, Gal Costa, Torquato Neto, Os Mutantes e Tom Zé.



Com influências do rock e do concretismo, a Tropicália inovou a estética cultural do país misturando movimentos sociais e linguagens artísticas, usando a indignação que tomava conta da época como inspiração para letras hoje atemporais.

Com letras construídas com base em jogos de linguagem e mensagens codificadas, as músicas exigiam além de referências culturais, grande poder de interpretação para serem compreendidas. Burlar os censores, que decidiam na época o que poderia ou não ser cantado, lido e consumido, era um dos motivos para a apresentação pouco óbvia das músicas.



O marco do movimento foi o Festival de Música Popular Brasileira promovido pela TV Record, em São Paulo, e TV Globo, no Rio de Janeiro, relembrado até hoje como um dos momentos mais ricos da música popular brasileira e da arte nacional.

Como não querer participar de um bate-papo rico assim? Impossível. Então se você ainda não está participando, As inscrições podem ser feitas pelo site do @incontros_rp clicando aqui



Confira as músicas que vamos trabalhar neste encontro:

  • Tropicália (Caetano Veloso e Gilberto Gil/1968)
  • Divino Maravilhoso (Caetano Veloso e Gilberto Gil - Interpretação de Gal Costa/1968)
  • Apesar de Você (Chico Buarque/1970)
  • Samba de Orly (Toquinho, Vinicius de Moraes e Chico Buarque/1970)
  • Aquele Abraço (Gilberto Gil/1969)

Então, se você tem algo a dizer sobre a playlist acima, esta conversa no sofá precisa de você.

Te vejo no Zoom ❤

Deixe um comentário


Os comentários devem ser aprovados antes de serem publicados